fbpx

Sobre

No dia 04 de fevereiro, o mundo inteiro se une em prol da causa do câncer. Neste dia, diversas ações são realizadas ao redor do planeta com o objetivo de conscientização a respeito da doença, que é a segunda principal causa de morte em todo o mundo. A campanha do Dia Mundial do Câncer é realizada todos os anos pela União Internacional para Controle do Câncer (UICC). No Brasil, é disseminada pela FEMAMA e sua rede de mais de 70 ONGs associadas.

Este é o ano para questionar o status quo e ajudar a reduzir o estigma; ouvir as perspectivas das pessoas que vivem com câncer e de suas comunidades e deixar que essas experiências vividas guiem nossos pensamentos e ações.
É assim que podemos começar a imaginar uma maneira melhor de fazer as coisas e construir uma visão mais justa do futuro.

Neste Dia Mundial do Câncer, escolha de que maneira você pode se engajar na
campanha e chamar a atenção para os cuidados mais justos no tratamento do câncer?

Engaje-se

Envolva-se da maneira que puder, pois juntos podemos criar mudanças. Veja abaixo as diversas formas que você pode se engajar neste Dia Mundial do Câncer.

luz

Ilumine o mundo de laranja e azul

Faça como a FEMAMA e suas ONGs associadas e converse com estabelecimentos públicos, pontos turísticos, estádios, prédios, hospitais e demais pontos de referência da sua cidade para se acenderem com as cores mundiais da campanha, laranja e azul marinho. Se precisar de ajuda, utilize o guia e o ofício que preparamos para você!

crop

Crie um pôster e divulgue nas mídias sociais

Crie sua própria postagem de mídia social personalizada com sua mensagem pessoal de compromisso e compartilhe-a com o mundo. Poste com as hashtags #PorCuidadosMaisJustos #DiaMundialdoCancer #FEMAMA e mostre que você se importa!

lente

Engaje-se em uma ONG numa ação local

Procure no site da FEMAMA a ONG mais próxima de você, entre em contato e se engaje nas atividades locais da instituição, sejam elas de Dia Mundial do Câncer ou não. Mostre que você se importe com a causa!

voz

Pressione por mudanças

Envie um e-mail ao deputado federal ou senador de seu estado pedindo por mudanças no tratamento do câncer e na redução das desigualdades no cuidado do câncer.

globe

Divulgue globalmente a sua iniciativa

Insira a sua atividade, iniciativa ou evento no Mapa de Atividades no site global do Dia Mundial do Câncer e ganhe visibilidade mundial (em inglês).

mobile

Demonstre o seu apoio nas mídias sociais usando as hashtags

Compartilhe e resposte as postagens da campanha nas mídias sociais da FEMAMA. Você também pode postar uma foto ou um vídeo contando para a sua rede de amigos sua história de luta contra o câncer. Não esqueça de usar as hashtags #PorCuidadosMaisJustos #DiaMundialdoCancer #FEMAMA!

money

Doe para a causa do câncer

Contribua com qualquer valor financeiro para a FEMAMA continuar seu trabalho de luta por direitos aos pacientes oncológicos. Se preferir, pode doar para a instituição local associada mais próxima, entrando em contato direto com elas.

Câncer

Câncer é um termo que abrange mais de 100 diferentes tipos de doenças malignas que têm em comum o crescimento desordenado de células, que podem invadir tecidos adjacentes ou órgãos à distância. Dividindo-se rapidamente, estas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores, que podem atingir outras regiões do corpo.

Os diferentes tipos de câncer correspondem aos vários tipos de células do corpo. Quando começam em tecidos epiteliais, como pele ou mucosas, são denominados carcinomas. Se o ponto de partida são os tecidos conjuntivos, como osso, músculo ou cartilagem, são chamados sarcomas.

Fonte: INCA

Incidência no Brasil: 66.280 novos casos (2021)
Mortalidade no Brasil: 18.068 mulheres e 227 homens (2019)

A doença, de maneira geral, surge a partir de células que sofreram alterações genéticas em seu DNA e começam a se proliferar de maneira acelerada e desordenada, formando um tumor. O câncer de mama, portanto, se dá quando esse processo acontece na região mamária.

Cerca de 90% das alterações genéticas que causam o câncer de mama podem ocorrer espontaneamente ao longo da vida e/ou pela manutenção de hábitos que alimentam o risco de se ter a doença. Os outros 10% são provocados por fatores hereditários. O câncer de mama é um dos tipos mais frequentes de câncer no Brasil, sendo prevalente em mulheres (99% dos casos), mas também aparecendo em homens (cerca de 1% dos casos).

Saiba mais sobre o câncer de mama
Conheça o trabalho da FEMAMA

Fonte: FEMAMA

Incidência no Brasil: 6.650 novos casos (2020)
Mortalidade no Brasil: 4.123 mulheres (2019)

O câncer de ovário é a segunda neoplasia ginecológica mais comum, atrás apenas do câncer do colo do útero. A quase totalidade das neoplasias ovarianas (95%) é derivada das células epiteliais (que revestem o ovário). O restante provém de células germinativas (que formam os óvulos) e células estromais (que produzem a maior parte dos hormônios femininos).

Saiba mais sobre o câncer de ovário
Conheça o trabalho do Grupo EVA

Fonte: INCA

Incidência no Brasil: 16.710 novos casos (2020)
Mortalidade no Brasil: 6.596 mulheres (2019)

O câncer do colo do útero, também chamado de câncer cervical, é causado pela infecção persistente por alguns tipos do vírus HPV (chamados de tipos oncogênicos). A infecção genital por esse vírus é muito frequente e na maioria das vezes não causa doença. Em alguns casos, ocorrem alterações celulares que podem evoluir para o câncer. Essas alterações são descobertas facilmente no exame preventivo (conhecido também como Papanicolau), e são curáveis na quase totalidade dos casos. Por isso, é importante a realização periódica do exame preventivo.

Excetuando-se o câncer de pele não melanoma, é o terceiro tumor maligno mais frequente na população feminina (atrás do câncer de mama e do colorretal), e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil.

Saiba mais sobre o câncer de colo de útero
Conheça o trabalho do Grupo EVA

Fonte: INCA

Incidência no Brasil: 6.540 novos casos (2020)
Mortalidade no Brasil: 1.936 mulheres (2019)

O útero é um órgão muscular onde o feto se desenvolve. O câncer do corpo do útero pode se iniciar em diferentes partes do órgão. O tipo mais comum se origina no endométrio (revestimento interno do útero) e é chamado de câncer do endométrio. O sarcoma uterino é uma forma menos comum de câncer uterino que se origina na musculatura e no tecido de sustentação do órgão.

O câncer uterino pode ocorrer em qualquer faixa etária, mas é mais comum em mulheres que já se encontram na menopausa.

Saiba mais sobre o câncer de corpo do útero
Conheça o trabalho do Grupo EVA

Fonte: INCA

Incidência no Brasil: 65.840 novos casos (2020)
Mortalidade no Brasil: 15.983 homens (2019)

A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. A próstata produz parte do sêmen, líquido espesso que contém os espermatozoides, liberado durante o ato sexual.

Mais do que qualquer outro tipo, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de 75% dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. O aumento observado nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução dos métodos diagnósticos (exames), pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida. No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). Em valores absolutos e considerando ambos os sexos, é o segundo tipo mais comum.

Saiba mais sobre o câncer de próstata
Conheça o trabalho do Instituto Lado a Lado pela VIda

Fonte: INCA

Incidência no Brasil: 40.990 novos casos (2020)
Mortalidade no Brasil: 10.191 homens e 10.385 mulheres (2019)

O câncer de intestino abrange os tumores que se iniciam na parte do intestino grosso chamada cólon e no reto (final do intestino, imediatamente antes do ânus) e ânus. Também é conhecido como câncer de cólon e reto ou colorretal.

É tratável e, na maioria dos casos, curável, ao ser detectado precocemente, quando ainda não se espalhou para outros órgãos. Grande parte desses tumores se inicia a partir de pólipos, lesões benignas que podem crescer na parede interna do intestino grosso.

Saiba mais sobre o câncer colorretal
Conheça o trabalho do Instituto Oncoguia

Fonte: INCA

Incidência no Brasil: 10.810 novos casos (2020)

Mortalidade no Brasil: 4.014 homens e 3.356 mulheres (2019)

A leucemia é uma doença maligna dos glóbulos brancos, geralmente, de origem desconhecida. Tem como principal característica o acúmulo de células doentes na medula óssea, que substituem as células sanguíneas normais.

Na leucemia, uma célula sanguínea que ainda não atingiu a maturidade sofre uma mutação genética que a transforma em uma célula cancerosa. Essa célula anormal não funciona de forma adequada, multiplica-se mais rápido e morre menos do que as células normais. Dessa forma, as células sanguíneas saudáveis da medula óssea vão sendo substituídas por células anormais cancerosas.

Saiba mais sobre a leucemia
Conheça o trabalho da ABRALE

Incidência no Brasil: 8.450 novos casos (2020)

Mortalidade no Brasil: 1.159 homens e 819 mulheres (2019)

O câncer de pele melanoma tem origem nos melanócitos (células produtoras de melanina, substância que determina a cor da pele) e é mais frequente em adultos brancos. O melanoma pode aparecer em qualquer parte do corpo, na pele ou mucosas, na forma de manchas, pintas ou sinais. Nos indivíduos de pele negra, ele é mais comum nas áreas claras, como palmas das mãos e plantas dos pés.

Embora o câncer de pele seja o mais frequente no Brasil e corresponda a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no país, o melanoma representa apenas 3% das neoplasias malignas do órgão. É o tipo mais grave, devido à sua alta possibilidade de provocar metástase (disseminação do câncer para outros órgãos).

Saiba mais sobre o câncer de pele melanoma
Conheça o trabalho do Melanoma Brasil

Fonte: INCA

É o nome que se dá ao conjunto de tumores que se manifestam na boca, na faringe, na laringe, fossas nasais, seios paranasais, glândulas salivares e tireoide. Os tumores malignos dessas localidades correspondem a 6% de todos os tipos de câncer. No Brasil, os cânceres de boca, laringe e tireoide são um dos tumores mais comuns dessa região.

Saiba mais sobre o câncer de cabeça e pescoço
Conheça o trabalho do Projeto Camaleão

Fonte: GBCP

Incidência no Brasil: 30.200 novos casos (2020)
Mortalidade no Brasil: 16.733 homens e 12.621 mulheres (2019)

O câncer de pulmão é o segundo mais comum em homens e mulheres no Brasil (sem contar o câncer de pele não melanoma). É o primeiro em todo o mundo desde 1985, tanto em incidência quanto em mortalidade. Cerca de 13% de todos os casos novos de câncer são de pulmão.

O tabagismo e a exposição passiva ao tabaco são importantes fatores de risco para o desenvolvimento de câncer de pulmão. Em cerca de 85% dos casos diagnosticados, o câncer de pulmão está associado ao consumo de derivados de tabaco. O cigarro é, de longe, o mais importante fator de risco para o desenvolvimento do câncer de pulmão. A taxa de mortalidade de 2011 para 2015 diminuiu 3,8% ao ano em homens e, 2,3% ao ano em mulheres, devido à redução na prevalência do tabagismo.

Saiba mais sobre o câncer de pulmão
Saiba mais sobre o câncer de pulmão de células pequenas
Conheça o trabalho do Instituto Oncoguia

Fonte: INCA